Por que as dietas de Ano Novo, na verdade, engordam – e o que fazer a respeito?

Aparentemente, o título deste texto pode parecer só mais uma maneira de fazer você clicar em algo nada científico que promete soluções milagrosas para a sua luta com a balança. Mas você que já nos acompanha lá no nosso canal do Youtube sabe que tudo que publicamos é fruto de diversas pesquisas sérias realizadas no Brasil e no mundo. Portanto, vamos fazer jus à nossa reputação e apresentar para você não a solução, mas algumas descobertas recentes que podem afetar diretamente a maneira como você olha para aquela salada nos primeiros dias de Ano Novo.

Pessoas que regularmente fazem dietas tendem a perder peso inicialmente, mas logo ganham toda a massa perdida no fim da dieta. Já aconteceu comigo, acontece com muita gente! Esse fenômeno é um antigo conhecido dos cientistas e está associado a mudanças repentinas no metabolismo. Estudos com gêmeos idênticos têm sido amplamente realizados nessa área, porque os gêmeos são ótimos modelos para entender os efeitos do ambiente e de diferentes modos de vida em um organismo, já que a genética dos indivíduos é a mesma. Um estudo que comparou gêmeos com dietas diferentes mostrou que, de fato, fatores não-genéticos é que são os grandes responsáveis pelo sucesso de uma dieta: a pesquisa sugeriu que quando você está acima do peso, o seu corpo define um “termostato do metabolismo” – ele se acostuma com aquele peso e ajusta o quanto o seu corpo tem que trabalhar para manter aquele peso. Quando se perde peso rapidamente com uma dieta exagerada, não dá tempo para o corpo ajustar o termostato para o novo peso e ele tende a acumular gorduras, levando a pessoa ao ganho de peso novamente.

oh3c6d0Designed by Valeria_Aksakova / Freepik

Só que nem tudo está perdido! Tentando entender porque algumas pessoas têm uma maior tendência a ganhar peso após dietas, uma nova pesquisa publicada na Nature, mostrou que pode haver uma solução para esse ganho de peso indesejado. Os pesquisadores alimentaram camundongos em laboratório, simulando uma pessoa que faz dietas de fim de ano sem um planejamento nutricional. Primeiro os camundongos eram alimentados com grandes quantidades de gordura (da mesma forma que fazemos nas festas de fim de ano) e depois entravam no regime. O mais incrível foi que a chave para não engordar após o fim da dieta estava em algo inesperado: os camundongos que menos engordaram foram aqueles que possuíam as bactérias intestinais mais eficientes para digerir compostos de plantas e transformá-los em polifenóis. Esses polifenóis são a chave para um intestino saudável e são produzidos a partir da digestão de legumes e verduras bem coloridos. Quando as bactérias “preguiçosas” dos intestinos dos camundongos gordinhos eram transferidas para os camundongos que não engordaram após a dieta, eles acabavam ganhando peso!

Os pesquisadores testaram uma série de estratégias para aplicar a pesquisa em humanos e chegaram à conclusão de que a ingestão de polifenóis, presentes em verduras, legumes, sementes, azeite de oliva, café, chocolate amargo e vinho pode reduzir esse ganho de peso após o fim da dieta. Definitivamente, vale a pena levar esse conhecimento científico para as próximas promessas de fim de ano: ao invés de prometer fazer uma dieta exagerada, você pode prometer comer mais polifenóis e cuidar muito bem das suas bactérias intestinais!

Nós já falamos algumas vezes de Obesidade no nosso canal, vale a pena conferir estes vídeos:

Imagem da capa: Designed by Jcomp / Freepik


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s